Para Mulheres Empreendedoras do Sul

por Paula Quintão 

A força do empreendedorismo está em sairmos de um ponto e alcançarmos o outro, em realizarmos uma jornada de realizar um sonho, uma meta, um objetivo, uma vontade. Para que algo se torne real, nós criamos movimentos, nos enchemos de força, preenchemos os caminhos com ação.

Esse é em profundidade significado de empreender e nós mulheres temos um brilho no olhar, que posso chamar de coração abastecido de sonhos. Temos um impulso de realização muito intenso e desde sempre somos empreendedoras das nossas vidas, desde épocas em que os homens saíam a empreender caçadas mundo afora estávamos a cuidar do ambiente doméstico, do crescimento e desenvolvimento da sobrevivência dos nossos filhos, a colocar comida na mesa para agregar as pessoas da família em torno das refeições. Estávamos a empreender.  

Acredito que se nos debruçamos sobre a história do desenvolvimento da agricultura, criando uma dinâmica em que nos estabelecemos em um lugar, deixamos de ser nômades e passamos inclusive a dominar com muito mais força o uso do tempo, vamos encontrar as mulheres por trás dessa iniciativa que têm sua força no cuidar, no plantio, e na manutenção da estrutura familiar, pois com a agricultura os homens podiam estar mais próximos de casa. 

A força da mulher está presente no cultivo, no arar a terra, no estabelecer bases sólidas. Essas são características que o sagrado feminino que nos habita, uma força que tem paciência em esperar florescer, em não apressar os tempos que são da natureza e em criar formas de reunir pessoas para dar afeto e receber afeto. Nós, mulheres, desde sempre estamos a empreender longas e virtuosas jornadas talvez pouco narradas pela história do homem, mas muito percebidas quando alguns episódios da história. 

Acontece que o termo empreendedorismo passou a ser direcionado quase que exclusivamente para o mundo dos negócios, um mundo que por anos e anos foi dominado pelos homens. E com isso perdemos a percepção de nossa força de participação, nossa atuação, nosso papel. Com isso, nos esvaziamos de força para empreender. Uma força que pode ser encontrada em três pilares. 

Sinto depois de anos empreendendo meu negócio e a perceber que desde sempre estou empreender a minha vida, que a força vem de muitos pontos, mas principalmente de alguns pilares e neles estão o autoconhecimento que nos leva à percepção no nosso valor próprio, do nosso poder pessoal e da nossa singularidade. Um outro pilar está na conexão com o feminino, que nos permite o plantio dedicado, o respeito aos tempos da colheita e também com a força que encontramos em grupos de mulheres. Aí, um grupo como o Mulheres Empreendedoras do Sul cumpre o papel e nos dá essa base lindamente. Um outro pilar está na conexão com o masculino que nos habita, que dá força de ação e realização

Em nosso evento presencial falarei mais sobre cada um desses pilares e das bases que nos fortalecem para o empreendedorismo, tanto de nossos negócios como da nossa vida. Estou em Pelotas para nos aprofundarmos e mergulharmos ainda mais profundamente nesses aspectos, o que é uma alegria. Dia 23 de marco nos promete uma noite muito especial. 

Com carinho,

Paula Quintão

Para participar do evento “Empreenda sua vida: mude sua história”, acesse https://www.sympla.com.br/empreenda-sua-vida-mude-sua-historia__115019

Para conhecer mais sobre o trabalho de Paula Quintão, acesse http://paulaquintao.com.br/

Anúncios